Notícias

Também conhecido como dados primários, first party data, é um termo técnico que se refere às informações geradas por uma empresa sobre seus consumidores a partir dos seus canais de venda, pesquisa e promoção. Entenda melhor esse conceito e a importância de trabalhar com um e-commerce que tenha propriedade dos dados dos consumidores!

Os dados estão sendo considerados como o novo petróleo. Quando trabalhados da forma correta, permitem que anunciantes consigam ser mais assertivos, pois oferecem um conhecimento mais amplo e profundo sobre os consumidores, ao mesmo tempo que geram insights para a elaboração de novas estratégias de divulgação e venda de produtos e serviços.

Na Americanas Marketplace, por exemplo, os dados gerados são os conhecidos como first party data, pois geralmente são solicitadas informações básicas dos consumidores para que a entrega do produto possa ser feita. Além disso, estes dados funcionam para a assertividade de ações estratégicas de publicidade através do americanas advertising, tornando a comunicação personalizável em muitos casos.

Mas calma, não é nada ilegal, nem uma invasão de privacidade. No caso do first-party data, os dados são cedidos pelos próprios clientes e consumidores em potencial. 

Existem outros tipos de coleta de dados, como o second e o third-party data. Porém quem utiliza estes dados precisa ficar atento, pois a forma como anonimamente coletamos, tratamos e utilizamos os dados dos visitantes em nossos negócios vai mudar com a política de fim dos cookies de terceiros.

Neste artigo, exploramos esse assunto de forma mais detalhada, explicando as vantagens para um mercado cada vez mais orientado pelos dados e que caminha a passos largos para entrar no metaverso. Continue a leitura para conferir!

 

o que é first-party data e como esses dados podem te ajudar?


Third, second e first party data são termos relacionados ao chamado data driven marketing, uma modalidade de gestão que consiste na coleta, estudo e utilização de dados na tomada de decisões em Marketing.

São informações de extrema importância, não só porque você se torna responsável por elas, mas pelo fato de que isso pode beneficiar muito a sua empresa. Pois se um potencial cliente deixar as informações de contato ou dados pessoais com você, isso significa total interesse pelo seu produto ou serviço.

No first party data, o consumidor já entrou pelo funil de vendas, o que torna a conversão muito mais fluida. É com este tipo de dado que seu time de marketing consegue produzir conteúdo mais personalizado para seus público-alvo.

Para a utilização de dados second e third party, por não contar com informações de empresas parceiras ou bancos de dados, você irá esbarrar em algumas limitações como, por exemplo, alcance de campanhas. Pois se torna mais difícil conseguir um bom volume de informações para segmentar o público para a distribuição.

 

como conseguir dados first party?


Nada é de graça, seus leads não te darão os dados pessoais a troco de nada. A cessão destes dados funciona quase como um relacionamento, o potencial cliente precisa sentir confiança na sua empresa para dar este passo. Mas nem só de confiança sobrevive esta relação, existe um sentimento de troca, todas as pontas precisam ganhar algo.

Para isto, uma boa opção para dar em troca das informações, é utilizar um conteúdo rico. Seja por meio de infográficos, landing pages, planilhas modelo e outros formatos de conteúdo, você consegue aumentar o volume de first party data coletado. Promova engajamento, nenhuma relação pode cair na mesmice.

A partir daí, com cada vez mais dados coletados, melhor você vai conhecendo seus leads e, assim, oferecendo melhores conteúdos para cada etapa da jornada até chegar na conversão, aprimorar o pós-venda e, juntos, serem felizes para sempre.

 

estratégia de dados para melhores resultados


Como você já percebeu, os dados mais relevantes são os first party data. Portanto as empresas já estão trabalhando para cada vez mais coletar estes dados ou apostando em outra estratégia de dados: somar com ferramentas como o hub de publicidade omnichannel americanas advertising. Por possuir uma base de dados first party, é possível aplicar essas informações na hora de traçar as estratégias com as soluções de anúncios no marketplace e nas demais soluções do hub.

 

quais os melhores dados pra usar?

Sem dúvida, o melhor dado para utilizar na sua estratégia são os first party data. Mas, mesmo o dado mais poderoso tem suas limitações, os dados first party não podem fornecer informações sobre os consumidores que estão em diferentes partes de sua jornada de compra e não estão se relacionando com nossas propriedades diretamente. E aí vem a pergunta de muitos profissionais: quando e como utilizar estes dados?

 

  • zero party data: antes de mais nada, o início

Zero-Party são os dados que o usuário entrega para uma marca de forma consciente e intencional, o que pode acontecer no preenchimento de uma pesquisa, quando ele responde a um quiz ou quando assina uma newsletter, por exemplo.

São ferramentas importantes para que as empresas possam fornecer uma personalização essencial em suas ofertas, ao mesmo tempo em que respeitam a privacidade do consumidor, totalmente dentro das leis de proteção de dados.

 

  • first party data: os dados mais poderosos

Os dados primários, são as informações coletadas diretamente pela empresa que os utiliza. São gerados por meio de campanhas de marketing, redes sociais, pesquisas e outros.

Suas informações são levantadas a partir dos domínios da companhia, ou seja, canais proprietários em que a empresa atua e com os recursos que adota para realizar a captação.

Dentre as maiores vantagens dos first party data estão a confiabilidade, a precisão e o sigilo. A empresa cria seus próprios parâmetros, estabelece as métricas que desejar em suas análises e pode manter seus relatórios protegidos.

 

  • second party data: a grama do vizinho

Os dados secundários, são as informações coletadas por uma empresa parceira que se dispõe a compartilhar esses dados para que isso gere benefícios para os dois lados e, principalmente, para o consumidor.

Essa prática é legal e muito comum entre companhias que exploram o mesmo mercado, mas nichos diferentes. Por não haver uma concorrência direta entre as duas organizações, elas são livres para se ajudarem de várias maneiras para levar uma melhor experiência de compra ao consumidor.

A principal vantagem dos dados second-party é que eles permitem que as empresas tenham acesso a dados relevantes sem a necessidade de coletá-los, ou ampliem a sua visão estratégica do mercado ao combinar essas informações com dados primários.

 

  • third party data: dados para combinação

Os dados terciários, como também são conhecidos, são as informações fornecidas por provedores de dados abertos que compartilham estatísticas sobre o comportamento, os hábitos e as preferências de diferentes perfis de consumidores a partir de vários canais de aquisição.

As companhias que comercializam ou disponibilizam esse tipo de dado em plataformas de venda e publicidade geralmente trabalham com grandes volumes de informação e utilizam serviços digitais, como aplicativos ou serviços online, para coletá-las.

A maior vantagem do third-party data é a sua abrangência. São dados muito extensos e variados que atendem diversos tipos de negócio. Por outro lado, essa visão ampla pode deixar a desejar em precisão e, como os dados são abertos aos usuários ou clientes do fornecedor, as chances de se diferenciar no mercado são menores, já que seus concorrentes também terão acesso a eles.

Provedores de dados de terceiros têm uma enorme amplitude de informações sobre os consumidores que não conhecemos diretamente, incluindo informações sobre seu comportamento e hábitos de navegação. Por exemplo, um vendedor que atua em parceria com a Americanas Marketplace, se desejar, pode utilizar os dados do americanas advertising para que ambos obtenham insights a respeito do comportamento de consumo durante uma sazonalidade específica e, a partir daí, traçar estratégias de anúncios dos produtos.

Atualmente a melhor estratégia de dados possível é gerenciar da seguinte maneira: ter dados de first-party poderosos, ampliados com dados de terceiros disponíveis para a compra no mercado aberto.

Pra ter um ecossistema equilibrado, a chave está na questão da segurança e do respeito às normas de boas práticas no uso dessas informações dos consumidores.

Conceitualmente e na base de tudo está a concepção de que os dados na verdade pertencem em primeira instância aos próprios consumidores, já que é sobre eles e só vai ficar tudo bem se eles permitirem. A partir daí uma série de práticas de solicitação de utilização entra em jogo e deve estar em adequação à LGPD.

Adotar uma rigorosa e cuidadosa política de segurança e privacidade de dados é a base de toda essa estratégia. Desrespeitar esse princípio é romper a cadeia da confiança do usuário ou consumidor e esse é o começo do fim de uma boa estratégia de dados.

O data-driven marketing é um recurso muito poderoso pois a utilização de dados, quando geridos e analisados de maneira correta, sejam eles third, second ou first-party data, ajudam empresas e profissionais de comunicação a obterem um conhecimento mais amplo sobre o mercado e seus consumidores, que podem gerar insights valiosos para novas campanhas, produtos e serviços.

Quer saber ainda mais sobre como os dados de sua estratégia podem potencializar os seus resultados? Entre em contato com a gente! Estamos aqui pra somar nas suas estratégias e oferecer as melhores soluções de publicidade no marketplace e soluções O2O pro seu negócio.

 

gostou do conteúdo?

Agora que você já conhece todas as vantagens de anunciar com o americanas advertising, é só preencher o formulário e aguardar o contato de um de nossos especialistas.

materiais gratuitos

assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo